Otros servidores Arquero

Estiramento Facial ou Lifting

06_estiramiento06_estiramiento2
O tratamento específico para cada paciente, nem sempre corresponde à idade e dependerá das zonas afetadas, do grau de flacidez e do tipo de rugas. Na fotografia da esquerda, podemos observar a intensidade do descolamento da pele do rosto e pescoço e a localização das incisões. Na fotografia da direita, indicamos as incisões endoscópicas (em vermelho, sob o cabelo) e as áreas descoladas, dependendo da necessidade: A: meio da testa, B: sobrancelhas, C: final das sobrancelhas, D: gordura malar. (Fotografias Man Ray, 1931).

Estiramento facial, ritidoplastia ou lifting, são os nomes usados para designar a intervenção que trata os estigmas do tempo no rosto. O próprio nome já explica o significado: estirar a pele, tratar as rugas (ritidos) e levantar as estruturas caídas (lifting).

Na fotografia acima podemos ver tanto as diferentes extensões de descolamento do rosto e pescoço como também o desenho das cicatrizes.

Na região frontal e temporal foram realizamos incisões mínimas para o tratamento endoscópico.

A ritidoplastia necessita a sofisticação e os cuidados da cirurgia plástica, mas exige principalmente meticulosidade e extrema atenção nos detalhes.
Para obter-se um ótimo resultado não basta apenas técnica cirúrgica, também é necessária a sensibilidade do cirurgião. Técnica e sensibilidade obtêm do paciente uma maior satisfação.

Compreende-se melhor o estiramento facial recordando o provérbio: “uma imagem vale mais que mil palavras”. Imaginemos uma folha desse tipo de papel que, por mais que o dobremos e amassemos permanece igual. Dobrando-o varias vezes em forma de leque e segurando-o pela parte de baixo, o leque permanece; quando o soltamos o papel se estica novamente sem nenhuma marca de dobra ou amassado.

A pele, no entanto, é elástica; esticando-a não eliminamos as rugas, já que isso requer que a gordura, músculos, etc, que está embaixo, mantenham a forma. Para isso, é preciso estirar a estrutura, algo semelhante a uma malha bem fina, denominada SMAS (sistema músculo aponeurótico superficial).

Outra característica importante dessa cirurgia é que a pele é descolada e levantada junto com a capa de gordura por onde circulam os vasos sanguíneos que alimentam o retalho. No caso de fumantes, pacientes com diabetes, arterioscleroses, etc., esta delicada circulação fica comprometida, requerendo uma preocupação especial e impondo certas limitações 

bibliografia

  • Arquero P. Rejuvenecimiento Facial. Faro de Vigo. Suplemento dominical: sección Salud. 09.12.1990.
  • Baker TJ, Gordon HL. Surgical rejuvenation of the face: Rhytidectomy. Mosby, St.Louis, 1986. 198-232
  • Caldeira AML, Nieves AP, Malehombo JP, Carvalho WA. Tratamento de las estruturas músculo-aponeuróticas na cirurgia do rejuvenescimento facial. Rev bras Cir. 1989; 79(1):33-43.
  • Conway H: The surgical face lift-rhytidectomy. Plast Reconstr Surg 1970; 45:124.
  • González-Ulloa, M.: Anatomy and surgical conclusions concerning the aging face. Abstract Book I Internat.Cong. I.S.A. P.S.,4 (1972).
  • Mir y Mir L. Cirugía del Rejuvenecimiento Facial. Editorial Jims. Buenos Aires,1994.
  • Morel Fation, D. Cosmetic sugery of the face. in Gibson, T., Editor: modern trends in Plastic Surgery, Washington, D.C., 1964, Butterworths & Co.
  • Pitanguy I, Cansancao A. Direcao de Tracao em Ritidoplastias Revista Brasileira de Cirugia Agosto, 1971
  • Quetglas Moll J. Breve manual de cirugía plástica y estética de la cara. Publicaciones Controladas. Madrid, 1971.
  • Rees TD, Wood-Smith D: Cosmetic Facial Surgery. Philadelphia, WB Saunders, 1973.
  • Rees TD, Aston SJ, Thorne CHM. Blefaroplastia y plástica facial. In: McCarthy JG. Cirugía Plástica: II. La cara. Panamericana, Buenos Aires,1992, 1419-1513.